Contador ou Inteligência artificial?

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Com a evolução tecnológica que experienciamos, cada vez mais vemos profissionais terem seus trabalhos substituídos por máquinas que são mais rápidas, incansáveis e não precisam parar para ir ao banheiro. Uma troca que começou em setores de trabalhos mais manuais, agora já permeia profissões de cunho intelectual, mas o quanto disso não passa de especulação?
Podemos ver a evolução de algoritmos digitais de forma simples em redes sociais do dia a dia, como facebook ou instagram por exemplo. Através de nossas curtidas, comentários e amizades, o algoritmo por trás da rede consegue mapear nossos gostos e afinidades. Dessa forma, cada vez que abrimos um dos aplicativos ele está ainda mais personalizado para nós, pois filtrou dentre tudo o que há disponível aquilo se se encaixa perfeitamente no que queremos ver, quase como se pudessem ler a nossa mente.
Na verdade, o que a programação por trás faz é interpretar os dados que nós fornecemos. O mesmo raciocínio que envolve complexos cálculos matemáticos feitos por uma inteligência artificial, também pode ser utilizado a favor da sua empresa. Ao combinar todos os documentos salvos em sistema, o algoritmo pode buscar a correção de valores em imposto pago e dizer se a empresa tem dinheiro a receber. Isso significa que contadores estão inutilizados? Não! O sistema é apenas mais uma ferramenta que veio para auxiliar os profissionais da área a encontrar essas oportunidades com mais agilidade. Sem precisar fazer manualmente a busca pela precisão de tributos pagos, a contabilidade terá mais tempo a sua disposição para empreender em outras tarefas. É de muita crueldade resignar toda a amplitude dos profissionais contábeis a uma única tarefa. Esse tipo de questão alarmista é muito comum com a chegada de novas tecnologias, como quando a televisão surgiu e decretaram o fim do rádio ou quando os ebooks surgiram e se falava que ninguém mais compraria livros.
A verdade é que as tecnologias tem dupla faceta, mas quem decide como elas serão perpetuadas são os usuários, as pessoas. Em casos como o Brasil em que mais de 50 impostos diferentes estão envolvidos no cotidiano de uma empresa, fazer da tecnologia sua aliada pode poupar além de tempo, muito dinheiro.

Posts Relacionados

Revizia na Mídia

Lawinnovation | Infor Channel Lawtech desenvolve ferramenta para gestão inteligente da área tributária e